sexta-feira, 14 de junho de 2024

Energia

Paraná e Cooperação Brasil-Alemanha iniciam parceria energética e climática inovadora

granja suína
Tags: climática inovadora, cooperação brasil-alemanha, energética

A Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável e a empresa alemã Mele Gruppe de Torgelow anunciaram nesta semana a parceria público-privada com duas cooperativas agrícolas do Paraná — Cooperativa de Energias Renováveis e Saneamento Rural (Coopersan) e a Cooperativa de Energias Sustentáveis (Ambicoop) — para expansão do mercado de hidrogênio verde e derivados.

A iniciativa visa converter o gás metano dos resíduos animais em energia sustentável. Ela envolve a produção de hidrogênio verde a partir da utilização dos estercos de porco. A capacidade total de produção estimada é de cerca de 275 toneladas de derivados de hidrogênio verde por dia.

O acordo de cooperação foi firmado esta semana durante visita de uma delegação de Mecklenburg-Vorpommern (estado alemão), liderada pelo chefe da chancelaria, Patrick Dahlemann, que consiste em várias empresas dos setores de energia e meio ambiente, bem como de representantes municipais da Alemanha. “A implementação do projeto representa o início de uma cooperação de longo prazo que servirá para o desenvolvimento futuro da parceria entre Mecklenburg-Vorpommern e Paraná no Brasil. Continuaremos a apoiar este projeto vitrine”, afirma Patrick Dahlemann.

A parceria receberá financiamento do projeto H2Uppp, programa global comissionado pelo Ministério Federal Alemão de Economia e Proteção Climática (BMWK, sigla alemã – Bundesministerium für Wirtschaft und Klimapolitik) e implementado pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH com apoio das Câmaras de Indústria e Comércio Brasil-Alemanha (AHK) no Rio de Janeiro e em São Paulo. O projeto está presente em 17 países, entre eles o Brasil, e prevê investimento total de 2,3 milhões de euros.

Dietrich Lehmann, diretor geral do Grupo Mele, empresa alemã, comemora o projeto de proteção climática sustentável. Trata-se de um projeto internacional que assegura a existência e o desenvolvimento das 332 fazendas de pecuária reunidas em uma cooperativa. Nesta situação vantajosa para ambas as partes, ela faz parte da reorganização do fornecimento de energia e da segurança na Alemanha e em Mecklenburg-Vorpommern”, destaca Lehmann.

A expectativa é de que a parceria aconteça até o final deste ano e que possa ser um projeto farol, com capacidade de disseminação e replicação da produção de derivados do hidrogênio verde para outras cooperativas da região, colaborando com os pilares do projeto H2Uppp que são sustentabilidade, impacto positivo social e ambiental, viabilidade técnica e econômica e certificação do bem-estar animal.

“O projeto é um bom exemplo dos esforços internacionais apoiados pelo governo federal alemão para promover o abandono dos combustíveis fósseis. A produção e utilização de hidrogênio verde e derivados apoia a transição energética para energias 100% renováveis e, além disso, o desenvolvimento sustentável do mercado no Brasil e no mundo”, destaca Markus Francke, Diretor da GIZ Brasil.

Entre as vantagens oriundas da parceria e produção de derivados de hidrogênio verde estão a redução do uso de fertilizantes minerais e certificação de bem-estar animal para os 332 cooperados, considerando que o projeto avaliará as cooperativas dentro dos seguintes parâmetros: ambiente — garantindo a liberdade de movimentação e expressão do comportamento animal; sanidade — que evita o desconforto e sofrimento oriundos de ferimentos e doenças; mão de obra especializada para lidar com os animais e alimentação. Além disso, os rejeitos animais deixarão de ser descartados na natureza, evitando a contaminação dos lençóis freáticos da região.

Vale destacar que a demanda de energia para o processo de eletrólise — separação das partículas dos gases e da água em derivados do H2V — será suprida por sistemas fotovoltaicos e hidrelétricos. O biogás produzido será processado em metanol, derivado de hidrogênio sustentável, com a adição de hidrogênio verde. A capacidade total de produção é de cerca de 88 mil toneladas/ano.

O hidrogênio verde

No contexto da atual urgência da transição energética frente à crise climática e a sustentabilidade dos sistemas energéticos globais, o hidrogênio verde (H2V) — produzido a partir de fontes renováveis – tem se destacado como peça-chave na descarbonização da indústria, sobretudo em setores difíceis de abater. O H2V pode servir como combustível para diversas formas de transporte, a exemplo de veículos terrestres ou marítimos e aeronaves.

Banner Conexão Agro Anúncio 728x90

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Podcast

Coluna Podcast

Coluna Conexão Agro Rádio UEL Sucessão Familiar - Conexão Agro
196 - Planejamento sucessório pode evitar disputas por herança
12/06/2024

Planejamento sucessório é estratégia crucial para prevenir disputas relacionadas à herança de propriedades rurais. Confira na Coluna Conexão Agro desta semana

Cotações

Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.

News Letter

Calendário

Calendário