quarta-feira, 19 de junho de 2024

Notícias

Preços médios do boi gordo caem pelo quarto mês consecutivo

Tags: crédito, exportações, pecuária

Os preços médios do boi gordo apresentaram queda pelo quarto mês consecutivo. Em novembro, o recuo foi de 2,17% em comparação a outubro. Contudo, o final da entressafra proporciona um mercado mais ajustado e, com o aumento da demanda causado pelas festividades de fim de ano, o cenário aponta para a sustentação dos preços nos próximos períodos. As informações são da nova edição do boletim AgroConab, publicado nesta quarta-feira (21), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O contexto de queda no consumo interno em razão do baixo poder aquisitivo do consumidor, observada em 2022, começa a desacelerar. Enquanto isso, as primeiras estimativas apontam para uma recuperação de 2,9% na produção de carne bovina no próximo ano.

O aumento das exportações tem mitigado os efeitos da crise no consumo interno e esse bom ritmo tem ajudado a sustentar o mercado. O volume de exportações em novembro de 2022 foi 67,8% superior ao apurado no mesmo período de 2021. O preço em dólar por tonelada de carne também vem registrando sucessivas quedas desde junho deste ano. Em novembro, a redução foi de 10,2% em relação ao mês anterior.

Apesar da diminuição da demanda chinesa, que causou redução das exportações de carne bovina em novembro de 2022 em relação ao mês de outubro, o volume acumulado do exportado em 2022 é recorde, com 2,78 milhões de toneladas. O mercado internacional apresenta aumento da demanda pelo produto brasileiro, favorecido pelos conflitos no leste europeu e ainda pela forte demanda chinesa, cujas dificuldades de suprimento de proteína animal ainda são elevadas como decorrência da Peste Suína Africana. Embora as exportações se mantenham firmes, a China continua a pressionar os preços para baixo.

Frangos e suínos 

No caso da carne de frango, a alta demanda em razão dos preços da concorrente bovina e das festas de fim de ano ainda não foi o suficiente para acompanhar a evolução da oferta, pressionando os preços para baixo. As exportações devem fechar o ano com desempenho recorde, aproximadamente 5% acima daquele observado em 2021.

Já para a carne suína, permanece a tendência de desaceleração gradativa da demanda chinesa. Dessa forma, a balança deverá fechar o ano com ligeira redução de volume e de receita em 2022, em comparação ao ano anterior.

Fonte: Conab

Banner Conexão Agro Anúncio 728x90

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Podcast

Coluna Podcast

Coluna 197 - IAT conclui adequações na regulamentação da suinocultura
19/06/2024

Coluna Conexão Agro na UEL FM destaca a proposta de adequações na regulamentação da suinocultura no Paraná preparada pelo IAT e o novo Plano Safra, que será anunciado na próxima semana

Cotações

Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.

News Letter

Calendário

Calendário