sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias

Queijos do Paraná conquistam premiações no II Prêmio Mundial de Queijos

Tags: IDR-Paraná, prêmiação, queijos

A produção de queijos do Paraná vem conquistando consumidores e o reconhecimento de especialistas no assunto. Há duas semanas produtores do estado conseguiram mais de 30 medalhas no II Prêmio Mundial de Queijos, realizado em São Paulo. A competição foi organizada pela organização não governamental SerTãoBras, com o apoio de diversas empresas e da confraria francesa Guilde Internationale des Fromagers. Cerca de 1.200 queijos, de onze países, disputaram a preferência do júri.

No I Prêmio Mundial de Queijos, realizado em 2019, o Paraná conseguiu duas medalhas. Neste ano foi um total de 34 premiações.

A Queijaria Lita, de Paranavaí, arrebatou seis prêmios no Mundial, entre os quais o ouro com dois produtos: o queijo Lita Cremoso Suave e o Lita Maturado Suave. Foram mais quatro medalhas, duas de prata e duas de bronze. A família Feuser, responsável pela queijaria, trabalha com gado leiteiro há duas décadas, mas apenas em 2020 decidiu aventurar-se no mundo dos queijos. A família possui atualmente trinta animais da raça Jersey em lactação. As vacas são criadas livres no pasto e produzem 300 litros de leite diariamente.

Visibilidade

De acordo com Talita Feuser, sócia-proprietária da queijaria, a tradição de fazer queijos começou com seus avós e hoje está nas mãos dos seus pais, Deleusa e Genécio Feuser. De acordo com Talita, a premiação foi uma surpresa e deve aumentar a visibilidade da Queijaria Lita. “As medalhas foram um reconhecimento de um trabalho feito com amor e dedicação. É também a possibilidade de que nossos produtos sejam mais conhecidos e possam representar a nossa região e o nosso estado”, observou. Talita ressaltou que a conquista das medalhas deve ser compartilhada com toda a equipe que torna possível a produção de queijos tão especiais. Atualmente a queijaria Lita produz de 30 a 40 quilos de diversos tipos de queijo diariamente. A produção é vendida na região de Paranavaí, Maringá, Londrina e Curitiba. Talita informou que a empresa está estudando a ampliação das vendas para outros estados.

Outra queijaria paranaense premiada no Mundial é de Ribeirão Claro. A Queijaria Bella Vista produz os queijos Cura Júnior (medalha de prata) e Senhor Cura (medalha de bronze). Há oito anos, Luiz Henrique Pedroso, dentista de formação e queijeiro recente, comprou um sítio buscando um lugar para descansar nos fins de semana. Aos poucos, foi descobrindo o universo dos produtos lácteos, comprou algumas vacas e entrou no ramo da bovinocultura de leite. “Imaginei ter um sítio para ficar tranquilo, e hoje estou fascinado pelo mundo dos queijos, inclusive pela solidariedade e generosidade em dividir o conhecimento entre os colegas”, diz Pedroso. “Ficamos felizes, além da premiação, pelo reconhecimento do nosso trabalho. Temos vários queijos paranaenses premiados, que foram penalizados pela dificuldade de legalização, e agora essa realidade está mudando”, enfatiza.

Assistência técnica

Valdeir Martins e Márcia Martins, de Londrina, participaram do Mundial de Queijos com nove produtos lácteos e conseguiram cinco medalhas com o doce de leite, doce de leite com café, queijo Frescal, queijo pão vermelho e queijo Paraná. Produtor de leite há mais de 30 anos, o casal iniciou a produção de queijos com o frescal para aproveitar o leite quando as indústrias diminuem a demanda. Logo depois, foi iniciada a produção do queijo maturado que estendia o período de comercialização. Neste período, o casal teve a assistência técnica necessária para melhorar a propriedade. “A gente recebe a assistência do IDR-Paraná, antiga Emater, desde que compramos a propriedade. Fiz um financiamento pelo programa Panela Cheia, conheci o pessoal da Emater e desde então ficamos amigos. Mesmo para conseguir, recentemente, a inspeção municipal tivemos a assistência do IDR-Paraná. Sempre tivemos o auxílio da assistência técnica para fazer o correto manejo do gado. O pessoal está sempre pronto para nos ajudar”, observou Valdeir. Ele acrescentou que pretende desenvolver outros sabores de queijos e ainda quer produzir iogurte.

Para Valdeir, a conquista das medalhas em São Paulo deve servir de estímulo para outros produtores. “Com essas premiações mais pessoas viram que podem ter um bom negócio na sua propriedade com a produção de queijo. O produtor tem que levar o queijo que faz para um concurso, ir atrás da assistência técnica para mostrar como ele pode fazer para levar o seu produto para uma avaliação de especialistas”, destacou. Segundo Valdeir, a produção de queijo pode aumentar a rentabilidade da atividade leiteira e garantir a permanência do produtor na atividade. “O produtor tem que investir num diferencial poque vender o leite fluido para uma indústria às vezes tem rentabilidade baixa. Se ele transforma num outro produto lácteo tem um retorno muito melhor”, afirmou. Para tanto, o produtor dá alguns conselhos. “Tem que começar com um bom manejo dos animais, muita higiene, uma boa ordenha para ter um leite de qualidade. Tem que ir atrás de boas técnicas de manipulação de alimentos para fazer o queijo. Ir atrás de tecnologia para a produção de queijo nas universidades, Senar, IDR-Paraná. Assim ele vai conseguir ter um retorno melhor com o produto”, conclui Valdeir.

Prêmio

Já estão abertas as inscrições para o Prêmio Queijos do Paraná, idealizado e promovido pelo Sistema Faep/Senar-PR, Sebrae-PR, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) e Sindileite-PR. Trata-se da maior premiação nacional deste gênero, voltada tanto a queijeiros artesanais quanto à indústria. No total, são 19 categorias, para produtos à base de leite de vaca, leite de cabra, leite de ovelha, leite de búfala e uma categoria para criações, como queijos aromatizados ou condimentados. Outras 28 entidades apoiam a iniciativa.

Além de avaliar e condecorar os queijos, o prêmio também contempla uma série de ações voltadas ao desenvolvimento do setor, como a qualificação de produtores de leite, de produtores artesanais de queijo e de indústrias lácteas.

O regulamento completo está disponível em sistemafaep.org.br/premio-queijos-do-parana. As inscrições podem ser feitas até 1º de março de 2023, no mesmo site. A avaliação e premiação estão marcadas para 1º de junho de 2023.

Fonte: IDR-PR

Banner Conexão Agro Anúncio 728x90

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Podcast

Coluna Podcast

Coluna Conexão Agro Rádio UEL Sucessão Familiar - Conexão Agro
196 - Planejamento sucessório pode evitar disputas por herança
12/06/2024

Planejamento sucessório é estratégia crucial para prevenir disputas relacionadas à herança de propriedades rurais. Confira na Coluna Conexão Agro desta semana

Cotações

Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.

News Letter

Calendário

Calendário