quinta-feira, 20 de junho de 2024

Cultivares

Embrapa e Meridional lançam cultivares de soja com a tecnologia Xtend no Show Rural

Tags: cultivares, refúgio, soja, XTEND

A Embrapa e a Fundação Meridional lançam no dia 7 de fevereiro, às 10h 30, na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, no Show Rural a ser realizado, em Cascavel (PR), duas novas cultivares de soja com a tecnologia Xtend® (XTD) que combinam a alta produtividade com tolerância aos herbicidas glifosato e dicamba (BRS 2560XTD e BRS 2562XTD) e, portanto, são opções para áreas de refúgio próximas às lavouras que utilizarem a tecnologia Intacta2 Xtend® (I2X).

As cultivares Intacta2 Xtend® (I2X), além da tolerância aos herbicidas, agregam a resistência às principais lagartas da soja. Com o intuito de prolongar a vida útil dessa tecnologia e evitar a resistência das lagartas nas cultivares Intacta2 Xtend®, a Embrapa considera imprescindível a adoção do refúgio.

Portifólio de soja

Na Vitrine de Tecnologias, a Embrapa Soja e a Fundação Meridional estarão demonstradas cultivares transgênicas com resistência ao herbicida glifosato (BRS 5804RR, BRS 5601RR e BRS 599 RR), cultivares com resistência ao glifosato e a algumas espécies de lagartas (BRS 1064 IPRO, BRS 1056 IPRO, BRS 1061IPRO, BRS 1003 IPRO, BRS 1054 IPRO) e cultivares com tolerância aos herbicidas glifosato e dicamba (BRS 2553 XTD, BRS 256-XTD, BRS 2562XTD, BRS 2578 XTD).

Lançamento BRS 2560XTD – Além de ser excelente opção de refúgio para áreas com cultivares com a tecnologia I2X (grupo de maturidade entre 5.8 e 6.2), a BRS 2560XTD é uma cultivar com alto potencial produtivo e arquitetura de planta que favorece a ramificação abundante. Outro diferencial, apontado pelo pesquisador Carlos Lasaro Pereira Melo, da Embrapa Soja, é que a nova cultivar é adaptada à antecipação de semeadura, permitindo encaixe em sistemas de sucessão/rotação de culturas. A BRS 2560XTD é recomendada para Serra do Nordeste e Planalto Superior do Rio Grande do Sul (REC103); Centro-sul do Paraná (REC103) e Sul de São Paulo (REC103).

Quanto à reação das cultivares às doenças, a BRS 2560XTD é resistente ao cancro da haste, mosaico comum da soja e podridão radicular de Phytophthora e moderadamente resistente a mancha olho-de-rã, oídio. Também possui resistência ao nematoide de galha Meloidogyne javanica. “Esta cultivar é ainda tolerante a sulfoniluréias (grupo químico de herbicidas utilizado para o controle de plantas daninhas), portanto é seletiva a ação desses herbicidas, seja quando utilizados para o controle das plantas daninhas em pré ou pós emergência da cultura, bem como para o controle da soja voluntária”, explica Pereira Melo.

Lançamento BRS 2562XTD – Este lançamento também é excelente opção de refúgio para áreas com cultivares com a tecnologia I2X com grupo de maturidade entre 6.0 e 6.4, por sua precocidade. A BRS 2562XTD possui alta estabilidade e performance produtiva, adaptada a diferentes ambientes de produção. “Além disso, a cultivar permite semeadura antecipada, possibilitando o encaixe em sistemas de sucessão/rotação de culturas. Esses atributos de lavoura podem variar em razão do clima, solo e manejo, mas em geral seguem as características mencionadas”, destaca o pesquisador Marcos Petek, da Embrapa Soja.

Quanto à reação das cultivares às doenças, a BRS 2562XTD é resistente ao cancro da haste, mosaico comum da soja e podridão radicular de Phytophthora e moderadamente resistente à mancha olho-de-rã e ao oídio. Também possui resistência aos nematoides de cisto (raças 3 e 14). É indicada para o Paraná (REC 201), São Paulo (REC 201), Mato Grosso do Sul (REC 204 e 301) Goiás (REC 304 e 401), Minas Gerais (REC 304) e Distrito Federal (REC 304).

Segundo Ralf Udo Dengler, gerente executivo da Fundação Meridional, as duas cultivares já estão com campos de produção de sementes implantados na safra 22/23. “Nossos colaboradores, produtores de sementes, já estarão garantindo a oferta de sementes já na próxima safra, ampliando nosso portfólio inovador com a tecnologia Xtend® (XTD), que são as cultivares BRS 2560XTD e BRS 2562XTD. A disponibilidade pode ser consultada em nosso site: www.fundacaomeridional.com. É importante destacar que estas cultivares de soja XTD, não servem apenas para refúgio para I2X, pois com seu alto potencial de rendimento e suas excelentes características agronômicas, apresentam-se como uma ótima opção para regiões indicadas”, completa Dengler.

Proteção Ampliada contra Lagartas – A soja Intacta2 Xtend® reúne três proteínas (Cry1A.105 e Cry2Ab2 e Cry1Ac), o que proporciona proteção contra seis espécies de lagartas que incidem na cultura da soja: Helicoverpa armigera, Spodoptera cosmioides, lagarta falsa medideira (Chrysodeixis includens), lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis), lagarta das maças (Chloridea virescens) e broca das axilas (Crocidosema aporema).

“A piramidação de três proteínas nesta tecnologia reduz a probabilidade de quebra da resistência”, explica o pesquisador Daniel Sosa Gomez, da Embrapa Soja. “Porém, um aspecto fundamental para evitar a seleção de populações de lagartas resistentes nas lavouras com esta tecnologia é o plantio de áreas de refúgio estruturado”, explica Sosa Gomez.

A recomendação atual de refúgio para a cultura da soja é, no mínimo, 20% da área com tecnologia diferente da Intacta2 Xtend®. Segundo o pesquisador, esta é uma medida preventiva que consiste no plantio de parte da lavoura com a tecnologia Xtend® – ou outras opções de soja não-Bt (sem a toxina Bacillus thuringiensis – Bt) a uma distância máxima de 800 metros de lavouras com a tecnologia Intacta2 Xtend®.

“A adoção da área de refúgio possibilita o acasalamento aleatório de mariposas oriundas das áreas com a tecnologia Intacta2 Xtend® e das áreas de refúgio, favorecendo a manutenção de populações suscetíveis e retardando a seleção de populações resistentes”, diz. A Embrapa defende ainda que o manejo de pragas nas lavouras com a tecnologia Intacta2 Xtend® siga as mesmas premissas do Manejo Integrado de Pragas (MIP).

Manejo de Plantas Daninhas – As cultivares de soja com tecnologia Intacta2 Xtend® e tecnologia Xtend® são tolerantes aos herbicidas glifosato e dicamba, cuja molécula apresenta eficiência no manejo de plantas daninhas de folhas largas, como a buva, o caruru, a corda-de-viola, o picão-preto, dentre outras. “O dicamba é um herbicida recomendado para aplicação no pré-plantio da soja. É fundamental que sejam seguidas as informações contidas na bula, pois o uso em desacordo com as orientações técnicas pode ocasionar injúrias em culturas não-alvo da aplicação do herbicida”, conclui o pesquisador Dionísio Gazziero, da Embrapa Soja

Na avaliação do pesquisador, o agricultor deve estar atento quanto ao aparecimento ou disseminação de plantas daninhas resistentes. Além disso, lembra que a integração entre práticas de manejo envolve não só o controle químico, mas também a rotação dos mecanismos de ação dos herbicidas, a rotação de culturas – pelo menos na entressafra da soja – o uso de espécies para produzir uma boa palhada, a limpeza de máquinas e implementos agrícolas, o uso de sementes de qualidade e livres de infestantes resistentes para evitar a reprodução dessas espécies.

Solenidade de lançamento de Tecnologias Embrapa

Local: Vitrine de Tecnologias Embrapa no Show Rural 2023

Data: 7 de fevereiro

Horário: 10h30

Banner Conexão Agro Anúncio 728x90

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Podcast

Coluna Podcast

Coluna 197 - IAT conclui adequações na regulamentação da suinocultura
19/06/2024

Coluna Conexão Agro na UEL FM destaca a proposta de adequações na regulamentação da suinocultura no Paraná preparada pelo IAT e o novo Plano Safra, que será anunciado na próxima semana

Cotações

Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.

News Letter

Calendário

Calendário